2006-08-15 - Resposta a Mario Quintana

15 de agosto
Resposta à Mario Guintana
Fique tão revoltado com as besteiras que o poeta Mário Quintana escreveu relativo ao casamento que me sinto na obrigação (como um esposo satisfeito, completo e feliz que sou) de replicar:

Na verdade, não existe nenhum problema no sermão padrão dos casamentos:
" Promete ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando e respeitando, até que a morte os separe..."

Até concordo que seja simplista, como afirmou o poeta, afinal, este é e sempre será um resumo, talvez incompleto, mas nunca incorreto de um bom procedimento para ser feliz em um casamento.

"Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?"

Antes de comentar isto vou levantar um ponto importante: "O fundamento do casamento não reside em ser feliz, mas sim em fazer seu cônjuge feliz."

Os casamentos de hoje em dia isto é raro, e é exatamente por isto que não temos muitos casais felizes, porque perdeu-se um dos principais fundamentos de um casamento de verdade. Se você fizer a pessoa feliz, ela vai inconcientemente fazer o mesmo por você. Isto não é algo que dependa da vontade do outro, é um fato instintivo do ser humano, a resposta sempre vai ser de acordo com a sua iniciativa, como está escrito "Aquilo que você plantar, isto você colherá".

A questão não reside em ser uma "pessoa controladora" e sim em saber se entregar e receber... a partir do momento que você se entrega em um casamento, o outro é responsável por você... E isto não quer dizer que o outro é controlador, mas o casamento é uma aliança e não um contrato, você deve entrar em um casamento para se entregar, e para fazer o outro feliz, é necessário muitas vezes se dobrar às vontades dele, isto implica em responsabilidades de um para com o outro.

"Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?"

Os sonhos de um casal devem ser compartilhados, nunca exclusivos de um só cônjuge, ambos devem viver uma só vida, devem sonhar as mesmas coisas, viver as mesmas situações, sempre juntos, se isto acontecer, unindo-se à vontade de fazer o outro feliz, não haverá cobranças por sonhos [do casal] que não puderem ser realizados, pois saberam que todo o possível de ambos foi feito, e mesmo que não tenham alcançado algo, seram felizes e sem cobranças.

"Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?"

Denovo vemos um princípio egocentrico no casamento pela visão do poeta. Ora, se você for forçado a ser feliz porque a pessoa pode te ajudar, então você está querendo receber, e não dar... você está sendo denovo egoista, querendo ser ajudado. Quando se entra em um casamento, tem-se que estar preparado para tudo, inclusive sofrer necessidades que talvez você não teria se estivesse em outro lugar sozinho por exemplo.
O ser feliz no casamento não significa que não passará por necessidades, ou que não terá problemas... mas que estarão unidos sempre, em todas as circunstâncias um para o outro, em uma troca espontânea, e não um recebendo do outro e pagando o que recebeu por obrigação.

"Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma impórtância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?"
"Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?"

O trecho "... saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina..." é a maior prova de o poeta nunca fez parte de um verdadeiro casamento, pode até ter feito parte de contratos, mas as teorias individualistas dele, sempre tentando não ser "escravizado" pelo outro, e ao mesmo tempo se tornando escravo de sí mesmo, o impediram de ser feliz e se livrar desta solidão que ele mesmo criou. Em um casamento de verdade não há solidão pelo simples fato de sempre compartilharem tudo, problemas, tristezas, alegrias, vitórias e até derrotas, se você individualiza, deixa de ser um casamento e se torna um contrato.

Se você se casou, você não é mais o que era, antes, você era sozinho, tinha certas liberdades, podemos dizer que "pertencia a você mesmo", mas depois do casamento, você escolheu viver para o outro, fazer o outro feliz, a resposta também será no mesmo tom, em um casamento você não pode ser a mesma pessoa que era antes de casa, tem novas responsabilidades, novos sonhos, novos desafios, você tem que amadurecer.
Tantos os acertos quantos os erros no casamento são compartilhados, não se deve culpar-se ou culpar o outro, deve-se compartilhar tudo, ambos sempre cuidando de não sobrecarregar ninguém,

"Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher, declaro-os maduros."

O "ser maduro", só se for na concepção dele, aliás, maduros e infelizes se seguirem estes conselhos do poeta.

Finalizando:

Deus instituiu o casamento antes mesmo do pecado original. No Jardim do Édem, Deus ordenou a Adão e Eva: "Multiplicai-vos e enchei a terra", destruindo assim qualquer polêmica sobre Deus ser contra o sexo, mas o sexo é o verdadeiro casamento diante de Deus, nada vale os contratos que fazemos nos fóruns e as cerimônias [se não para clamar a Deus a sua bênção], por isto devemos nos respeitar e nos guardar.

Como programador, quando faço um programa, a razão dele existir é cumprir a tarefa para qual foi feito, isto dá valor a este programa, isto é o que faz este programa ter sentido, e isto faz este programa ser agradável a mim.
Deus criou sua vida para adorá-lo, esta é a sua razão de existir, esta é a base, agradar a Deus, todos os que experimentam esta experiência conhecem que não existe NENHUM prazer melhor para o ser humano do que estar em verdadeira adoração.

Glaudiston Gomes da Silva

11:29
Postar um comentário

Postagens mais visitadas